quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Sentí

Onde pude esconder com o meu peito queimando de dor e sofrimento.
andarei léguas e léguas ate chegar em um poço de água quase acabando e pegar somente uma gota d´agua para apagar todo o meu sofrimento...

Márden Moreira de Carvalho..

Onde mim

Pude afirmar tantos e diversos traços de minha vida,não pude compreender as conquistas que me revelaram,será que posso apenas gostar de mim?
a calma que não tive antes,agora tenho que ter,para que!
ter sempre olhos fixos naquele momento que deveria ser de outro, ter somente o teu sorriso e não fazer uma cópia dos outros.destino so tem um, somente um que encontrarei quando chagar o exato momento de minha partida...

Márden Moreira de Carvalho.

terça-feira, 22 de março de 2011

Lágrimas

Chorarei mil lágrimas
contadas pelos olhos;
Beijarei mil sorrisos,
escondidos pela face;
Gritarei bem baixo,
para o vento não me seguir;
Atravessarei uma longa ponte,
para não perder a rota da jornada.

Sempre lembrarei das lágrimas
molhando o meu rosto.
Com tudo isso,
já não posso tocá-lo com uma pétala de rosa.
Sei que sempre chorarei,
com desejos isolados na face da terra...

Márden Moreira de Carvalho, in Junto de ti, beijo do amanhã

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Para ti

   Cordis,
 escrevi teu nome na areia,
para não perder
a sensibilidade de te olhar...

Márden Moreira de Carvalho... 

domingo, 19 de dezembro de 2010

Palavras ao vento

                                              
                                             Saudade,                                                                      
um sentimento que nem todos conseguem explicar.
Amor,
uma coisa tão sentimental que podemos
 fazer coisas impossíveis para tê-lo.
Tristeza,
quase amiga da saudade,
onde relata todas as lágrimas derramadas pelos olhos.
Medo,
aquilo que todos nós temos,
 mas que às vezes não conseguimos esconder.
Partida,
quando a jangada parte e você fica
 se debruçando sobre o vento.
Olhar,
diferente de ver mas que nunca poderemos enxergar além.
Adeus,
é o tipo de tchau mais triste que existe,
quando o silêncio toca os lábios...
                                                        

Márden Moreira de Carvalho


A calma do silêncio


Às vezes,
quando o silêncio bate em minha porta,
com os dedos molhados de sereno,
olho bem calmamente,
para não revelar o silêncio de uma brisa calma e fria...

Márden Moreira de Carvalho